Coração branco de Plutão teve uma origem violenta, revela estudo

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

Novo estudo revela que o coração branco de Plutão teve uma origem violenta.

Quando a sonda New Horizons da NASA capturou imagens de Plutão em 2015, revelou uma surpresa adocicada: um imenso coração branco dominando sua superfície. 

Este marcante padrão geológico, cientificamente denominado Tombaugh Regio, cativou não apenas o público em geral, mas também a comunidade científica, que imediatamente se propôs a desvendar sua origem e significado.

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------
Foto: Reprodução/ Canva Pro

Revelações científicas sobre o coração branco de Plutão

Os esforços para decifrar o mistério por trás do coração de Plutão culminaram em um estudo publicado na prestigiosa revista Nature Astronomy. 

Neste estudo, pesquisadores compartilham suas descobertas intrigantes, oferecendo uma visão fascinante sobre a violenta história geológica do planeta anão.

Inclusive, os cientistas utilizaram modelos computacionais para entender a formação do coração de Plutão.

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

Sendo assim, essas simulações meticulosas permitiram que eles recriassem as condições do espaço profundo e explorassem os efeitos de colisões e impactos de corpos celestes.

Impacto e Formação do Sputnik Planitia

Uma das descobertas mais notáveis ​​do estudo é a origem do Sputnik Planitia, a vasta região em forma de coração que compõe parte do Tombaugh Regio. 

Vale destacar, que os pesquisadores propõem que esta formação impressionante foi resultado de uma colisão oblíqua com uma rocha gelada, cujas dimensões superavam até mesmo as do estado americano do Kansas.

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

Implicações para a Estrutura de Plutão

Além de desvendar a origem do coração de Plutão, o estudo oferece insights valiosos sobre a estrutura interna do planeta anão. 

Isso porque as simulações sugerem que Plutão não abriga um oceano subterrâneo.

Inclusive, o coração branco de Plutão fica localizado próximo ao equador do planeta, desmistificando a necessidade de um corpo d’água para justificar tal posição.

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

Dessa forma, com estas descobertas e análises minuciosas, os cientistas estão reescrevendo nossa compreensão da história e geologia de Plutão, transformando este distante mundo gelado em um palco fascinante de eventos cósmicos tumultuosos.

Leia mais: O Impacto da Produção em Massa de Plástico e Seus Efeitos Ambientais

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------
------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

Leandro Sinis, além de ser o CEO do Biologia Digital, traz consigo uma bagagem valiosa como biólogo e divulgador científico, graduado pela renomada Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Sua paixão pela ciência e pelo compartilhamento do conhecimento o impulsiona a liderar esta plataforma com dedicação e expertise. Para entrar em contato com Leandro, envie um e-mail para: leandrocarsi89@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *