Biogênese e Abiogênese: defensores, diferença e experimentos

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

A biogênese e abiogênese são duas teorias muito famosas que tentam explicar a origem da vida na Terra.

E entender como a vida surgiu em nosso planeta, sempre foi um grande objetivo de filósofos e cientistas.

Sendo assim, até o século XVII, as pessoas acreditavam que certos animais ou vermes podiam ser gerados absolutamente do nada, a partir de matéria sem vida.

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

E essa crença era apoiada pela teoria da abiogênese ou também conhecida como teoria da geração espontânea, que dizia que os seres vivos podiam surgir da matéria bruta inanimada ou pela transformação de outros seres.

Porém depois de alguns anos, a abiogênese caiu por terra graças a experimentos de cientistas criteriosos que fizeram uso do método científico para comprovar que os seres vivos somente surgem a partir de outros seres preexistentes da mesma espécie, dando origem à teoria da biogênese.

Aqui no Biologia Digital, você vai entender direitinho as diferenças entre biogênese e abiogênese, quais foram os defensores e seus experimentos. 

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

Então, fique comigo até o final deste post!

Diferença entre biogênese e abiogênese

Como já deu pra notar, a biogênese e abiogênese são teorias opostas que tentam explicar como a vida surgiu em nosso planeta.

Teoria da biogênese

É a teoria mais aceita hoje em dia pela comunidade científica e diz que todos os seres vivos, em escala microscópica e macroscópica, surgem de seres preexistentes. 

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

Por isso o nome “biogênese”, que vem do grego (bio-vida, gênese-origem), relacionada a uma origem biológica, a partir de um outro organismo.

Teoria da abiogênese

Na antiguidade, Aristóteles era o principal defensor dessa ideia/teoria e acreditava que existia um “princípio ativo” na matéria sem vida, essencial para dar vida a diferentes seres.

Sendo assim, até o século XVII, muita gente acreditava que vermes podiam ser gerados de uma carne apodrecida, girinos de uma poça de água e ratos de roupas sujas e sementes de trigo.

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

Essas ideias apoiavam-se na teoria da abiogênese, que alegava que seres vivos podiam surgir da matéria sem vida, por geração espontânea ou pela transformação de outros seres vivos, como quando surgiam seres vermiformes (larvas de moscas) em cadáveres em putrefação.

Biogênese e abiogênese experimentos

A partir do século XVII, muitos cientistas realizaram experimentos para testar suas hipóteses sobre a origem dos seres vivos.

O experimento de Redi

O médico italiano Francesco Redi (1626-1697) foi o primeiro a elaborar um experimento capaz de abalar a teoria da geração espontânea.

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

Isso porque o experimento de Redi provou que os seres vermiformes que as pessoas costumavam ver em carne em putrefação (decomposição) eram, na verdade, larvas que surgem de ovos colocados por moscas.

Nesse momento, a teoria da geração espontânea ou abiogênese perdeu um pouco de credibilidade.

Esta teoria perdeu força, principalmente, com relação à origem ou surgimento de seres macroscópicos, isto é, aqueles facilmente visíveis a olho nu.

Leia Mais: O Experimento de Redi foi o primeiro a tentar descartar a Abiogênese

Os experimentos de Needham e Spallanzani 

Já no século XVIII, a teoria da abiogênese ainda era utilizada para tentar explicar o surgimento de seres microscópicos, que haviam sido descobertos em meados do século anterior, a partir da invenção do microscópio por Antonie van Leeuwenhoek.

Dessa maneira, o inglês John Needham (1713-1781) tentou defender a causa da abiogênese através de seu experimento com frascos contendo caldos nutritivos.

Assim, em 1745, John Needham ferveu caldos de carne por 30 minutos e os fechou imediatamente com rolhas de cortiça. 

Acreditando, com a fervura, ter eliminado qualquer ser microscópico, após alguns dias, mesmo assim, o pesquisador encontrou os frascos repletos de microrganismos.

Desse jeito, Needham concluiu que nenhum micróbio entraria através das rolhas de cortiça e que os microrganismos encontrados só poderiam ter surgido por geração espontânea. 

Porém, Lazzaro Spallanzani (1729-1799), refez os experimentos de Needham e percebeu que o inglês não havia fervido por tempo suficiente ou vedado de maneira correta os frascos, não eliminando totalmente as formas de vida microscópicas. 

Assim, os frascos com caldos nutritivos de Needham permaneciam contaminados por microrganismos.

No entanto, Needham alegou que Spallanzani ferveu por tempo demais e, com isso, deteriorou o “princípio vital” presente na matéria inanimada e necessário para a formação espontânea dos seres.

Leia Mais: Needham e Spallanzani: o debate sobre a origem dos microrganismos

O experimento de Pasteur

E o debate continuou acalorado por mais um século, até Louis Pasteur (1822-1895) derrubar de vez a teoria da geração espontânea com seus experimentos com frascos com gargalos no formato de “pescoço de cisne”.

Leia aqui: Experimentos de Pasteur derrubaram a teoria da geração espontânea

Biogênese e abiogênese mapa mental

Abaixo você encontra um mapa mental sobre biogênese e abiogênese para você revisar os conhecimentos obtidos aqui sobre o assunto.

Biogênese e abiogênese mapa mental

Veja mais artigos do Blog:

------CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------

Leandro Sinis, além de ser o CEO do Biologia Digital, traz consigo uma bagagem valiosa como biólogo e divulgador científico, graduado pela renomada Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Sua paixão pela ciência e pelo compartilhamento do conhecimento o impulsiona a liderar esta plataforma com dedicação e expertise. Para entrar em contato com Leandro, envie um e-mail para: leandrocarsi89@gmail.com